Notícias » Brasil

 

Últimas notícias

  • Alunos encontram pichação racista em banheiro da Unaerp

    Continuar lendo
  • Homem é assassinado a pauladas em São Carlos e adolescente de 16 anos é suspeito do crime

    Continuar lendo
  • Cachorro agredido a pedradas em Gália tem fratura no fêmur e passará por cirurgia

    Continuar lendo
  • Tribunal de Contas encontra até cobra no meio de brinquedos durante fiscalização em creches na região

    Continuar lendo
  • Em Lins, suspeito que sofreu acidente após furtar carro diz que aprendeu 'ofício' na internet

    Continuar lendo
  • Crânio aparece em veículo nas proximidades de cemitério de Araraquara

    Continuar lendo
  • Almir Sater se apresenta em Ribeirão Preto no próximo dia 26/10

    Continuar lendo
  • Detran.SP lista dez dicas para a hora de vender ou comprar um veículo

    Continuar lendo
  • Palavra Cantada apresenta show em Ribeirão Preto

    Continuar lendo
  • Latam anuncia investimento milionário e contratação de 150 pessoas em São Carlos

    Continuar lendo

Racismo no trabalho atinge 60% dos negros, diz estudo

Dos 200 entrevistados no estudo, 67% também afirmaram acreditar que já deixaram de ser contratados por causa da cor da pele

vea

Pesquisa divulgada em um festival de inovação, em São Paulo, revelou dados sobre o racismo no ambiente de trabalho. No estudo, que ouviu cerca de 200 pessoas entre 18 e 50 anos, de diferentes classes sociais, 67% dos entrevistados afirmaram acreditar que já deixaram de ser contratados para uma vaga por serem negros. E seis em cada dez disseram que já foram vítimas de discriminação no ambiente de trabalho.

Entre as principais dificuldades para conseguir entrar no mercado de trabalho, os entrevistados elencaram a falta de qualificação (43%) em primeiro lugar, seguida pelo racismo (34%) e por não ter o domínio da língua inglesa (31%) . “As consequências do racismo interferem diretamente na qualidade de vida e produtividade dos trabalhadores ao psicossomatizar em seus corpos, contribuindo para o adoecimento de talentos, e, ainda, fazendo com que o rendimento não seja desenvolvido tanto quanto poderia. Sob a perspectiva empresarial, um ambiente que propaga o racismo contribui significativamente para a baixa produtividade do colaborador, para o desenvolvimento de doenças físicas e psíquicas”, apontou Fernando Montenegro, idealizador da pesquisa.

Os entrevistados contaram que já alisaram ou rasparam o cabelo para passar por uma entrevista de emprego ou para ser aceito no ambiente de trabalho. “O gerente disse que eu deveria tirar as tranças e alisar o cabelo para ficar mais bonita”, contou uma das entrevistadas na pesquisa, que não teve seu nome revelado.

Recolocação

Outro dado apontado pela pesquisa trata da carreira e recolocação no mercado. Entre os entrevistados, 36% disseram que não largariam o emprego para buscar a realização de um sonho porque o fato de ser negro acarretaria em mais tempo para se recolocar no mercado de trabalho. Segundo o estudo, a ideia de pedir demissão para encontrar o sucesso ou refletir sobre a carreira é mais difícil para essa população.

Segundo Montenegro, a conclusão reforça pesquisas anteriores que demonstraram que os negros demoram mais para conseguir um emprego caso sejam demitidos ou peçam demissão. “Se eu pedir demissão para seguir meus sonhos ou refletir sobre minha carreira, sei que demorarei muito mais para me recolocar. Além disso, não saberia como justificar isso em uma próxima entrevista de forma que não parecesse uma atitude irresponsável de minha parte. Fora que isso suja carteira [de trabalho] e tenho contas para pagar”, disse uma das entrevistadas pelo estudo, de nome não revelado.

A pesquisa, elaborada pela Consultoria Etnus, foi feita especialmente para compor um debate sobre transformação social dentro da programação do festival de inovação WHOW!, realizado em São Paulo e que termina hoje (27)

Veja.com

© ....:: RÁDIO FM 104 ITÁPOLIS ::.... É só sucesso!!!
BRLOGIC