Notícias » Mundo

 

Últimas notícias

  • Comerciante itapolitano é encontrado morto na manhã desta sexta, 14

    Continuar lendo
  • Assassino do ator Rafael Miguel tem prisão decretada pela Justiça

    Continuar lendo
  • Menores são suspeitos de lançar pedras em carros para assaltar motoristas em Ribeirão Preto

    Continuar lendo
  • Corpo de estudante assassinada é velado em Araraquara

    Continuar lendo
  • Após ter carga de 43 mil litros de etanol roubada, caminhão é encontrado em canavial em Parapuã

    Continuar lendo
  • Ator e seus pais são mortos ao visitar família da namorada dele em SP

    Continuar lendo
  • Homem é morto pelo próprio irmão com tiro durante churrasco de família

    Continuar lendo
  • Família é feita refém em assalto na zona rural de Itápolis

    Continuar lendo
  • Homem atira em ex e na mãe dela e ateia fogo ao próprio carro em Araraquara

    Continuar lendo
  • "Assaltantes conheciam rotina do local", diz polícia sobre roubo em padaria de Itápolis

    Continuar lendo

Relatório dos EUA afirma que tripulantes de submarino argentino tiveram morte imediata em explosão

2017-11-17t162614z-634673914-rc12190c73e0-rtrmadp-3-argentina-submarine

Submarino militar argentino ARA San Juan é visto deixando o porto de Buenos Aires em imagem de arquivo (Foto: Armada Argentina/Handout via Reuters)

O submarino argentino ARA San Juan, desaparecido em novembro, sofreu uma explosão a 380 metros de profundidade, liberando uma energia similar a 5,7 toneladas de TNT, segundo um relatório militar americano obtido pelo jornal “La Nación”, de Buenos Aires. Os 44 tripulantes teriam morrido imediatamente.


O informe do Escritório de Inteligência Naval, da Marinha dos EUA, analisou o sinal acústico detectado por equipamentos de monitoramento no Atlântico em 15 de novembro, data em que a tripulação do submarino fez seu último contato com a base em terra.

A localização do ruído, a 30 milhas da última localização reportada do ARA San Juan, é compatível com a rota que percorria o submarino.

Em resposta ao "La Nación", a Marinha argentina disse que o relatório americano representa "um indício a mais" e ainda não descarta nenhuma hipótese nas investigações.

O submarino havia zarpado de Ushuaia no domingo, 11 de novembro, para retornar a Mar del Plata, sua base habitual. Em sua última comunicação, informou que uma entrada de água pelo sistema de ventilação provocou um princípio de incêndio na casa de baterias.

Após semanas de buscas que contaram com o apoio de diversos países, incluindo EUA e Brasil, a Argentina admitiu que não há mais chances de encontrar sobreviventes.

As operações continuam, no entanto. O porta-voz da Marinha da Argentina, Enrique Balbi, comparou os esforços de busca, na última sexta-feira (8), a procurar “uma agulha no palheiro”.

 

Do G1

© ....:: RÁDIO FM 104 ITÁPOLIS ::.... É só sucesso!!!
BRLOGIC