Notícias » Mundo

 

Últimas notícias

  • RIBEIRÃO PRETO: Mulher acusada de agredir filha de 2 anos paga fiança e deixa cadeia

    Continuar lendo
  • Colisão termina com carro em córrego e uma pessoa ferida em Araraquara

    Continuar lendo
  • Bebê morre em acidente causado por motorista bêbado na SP-333

    Continuar lendo
  • Jovem morre afogado em prainha do Tietê

    Continuar lendo
  • Homem morre eletrocutado enquanto testava caminhão guincho em Borborema

    Continuar lendo
  • Morre uma das vítimas de acidente com caminhonete que capotou na SP-294 em Tupã

    Continuar lendo
  • Ex-prefeito de Borborema é esfaqueado por funcionário durante discussão

    Continuar lendo
  • Três jovens de Borborema morrem em grave acidente quando voltavam de festa

    Continuar lendo
  • Dupla armada assalta mercado e faz cliente refém em Borborema

    Continuar lendo
  • Congresso aprova aumento para STF

    Continuar lendo

Relatório dos EUA afirma que tripulantes de submarino argentino tiveram morte imediata em explosão

2017-11-17t162614z-634673914-rc12190c73e0-rtrmadp-3-argentina-submarine

Submarino militar argentino ARA San Juan é visto deixando o porto de Buenos Aires em imagem de arquivo (Foto: Armada Argentina/Handout via Reuters)

O submarino argentino ARA San Juan, desaparecido em novembro, sofreu uma explosão a 380 metros de profundidade, liberando uma energia similar a 5,7 toneladas de TNT, segundo um relatório militar americano obtido pelo jornal “La Nación”, de Buenos Aires. Os 44 tripulantes teriam morrido imediatamente.


O informe do Escritório de Inteligência Naval, da Marinha dos EUA, analisou o sinal acústico detectado por equipamentos de monitoramento no Atlântico em 15 de novembro, data em que a tripulação do submarino fez seu último contato com a base em terra.

A localização do ruído, a 30 milhas da última localização reportada do ARA San Juan, é compatível com a rota que percorria o submarino.

Em resposta ao "La Nación", a Marinha argentina disse que o relatório americano representa "um indício a mais" e ainda não descarta nenhuma hipótese nas investigações.

O submarino havia zarpado de Ushuaia no domingo, 11 de novembro, para retornar a Mar del Plata, sua base habitual. Em sua última comunicação, informou que uma entrada de água pelo sistema de ventilação provocou um princípio de incêndio na casa de baterias.

Após semanas de buscas que contaram com o apoio de diversos países, incluindo EUA e Brasil, a Argentina admitiu que não há mais chances de encontrar sobreviventes.

As operações continuam, no entanto. O porta-voz da Marinha da Argentina, Enrique Balbi, comparou os esforços de busca, na última sexta-feira (8), a procurar “uma agulha no palheiro”.

 

Do G1

© ....:: RÁDIO FM 104 ITÁPOLIS ::.... É só sucesso!!!
BRLOGIC