Notícias » Brasil

 

Últimas notícias

  • Segundo sol: Luzia descobre que seu filho com Beto não morreu

    Continuar lendo
  • Segundo Sol: Remy agarra Luzia e Ícaro salva a mãe de ser estuprada

    Continuar lendo
  • Jovem morre ao bater cabeça contra mureta em jogo de futebol em Santa Lúcia

    Continuar lendo
  • Após tentativa de roubo, assaltante é arrastado por ônibus em São Carlos

    Continuar lendo
  • Viatura com 8 presos bate em caminhão e interdita rodovia em Sertãozinho

    Continuar lendo
  • Homem morre e PM é ferido em troca de tiros em favela de Ribeirão Preto

    Continuar lendo
  • Mulher encontrada morta 12 dias após desaparecer em Jaú foi enforcada por suspeito

    Continuar lendo
  • Com cerca de 33% de sua capacidade total, Lago de Furnas tem queda pelo segundo ano consecutivo no mês de julho

    Continuar lendo
  • Justiça ouve depoimentos de policiais militares acusados de espancar e matar Luana em Ribeirão Preto

    Continuar lendo
  • Mulher mantida presa por marido em casa é libertada após filho entregar carta com pedido de socorro

    Continuar lendo

Juízes do Rio têm verba até para material escolar

Além dos salários, juízes do Rio de Janeiro têm direito a receber diversos auxílios para despesas com transporte, moradia, refeição e educação dos filhos até completarem 24 anos. As informações foram publicadas pela Coluna do Estadão, do jornal O Estado de S. Paulo.

São oito os chamados “penduricalhos”, que somados podem elevar os contracheques para R$ 38,6 mil por mês, acima do teto constitucional dos vencimentos do setor público, que é de R$ de R$ 33.763 – nesses casos, na prática o valor do benefício é incorporado ao salário do magistrado, mas não conta para o teto.

Segundo a coluna, os magistrados têm direito a verba mensal de R$ 1.136,53 para pagar mensalidade escolar. Quem tem três filhos, teto máximo, embolsa R$ 3,4 mil. Se a mensalidade for menor do que o valor do auxílio, a diferença cobre matrícula, material e uniforme.

O Tribunal de Justiça do estado também concede o benefício “caso o filho do magistrado frequente instituição pública de ensino”. Nesses casos, uma cota da verba é paga no início do ano, para “ressarcir as despesas de material e uniforme”.

Desde 2012, uma ação no Supremo Tribunal Federal contesta os benefícios concedidos aos juízes do Rio pelo então governador Sérgio Cabral. O caso deve voltar a ser analisado já que depois de cinco anos com a ação o ministro Luiz Fux a devolveu para julgamento.

© ....:: RÁDIO FM 104 ITÁPOLIS ::.... É só sucesso!!!
BRLOGIC