Cidades do centro-oeste paulista reeditam restrições e adotam medidas para conter avanço da Covid e da gripe
10/01/2022 10:31 em Ciência e Saúde

 O forte avanço no número de casos de Covid-19, associado a um aumento também preocupante de casos de gripe e síndromes respiratórias, tem feito com que várias cidades do centro-oeste paulista anunciem medidas de restrição a atividades e ações especiais de vacinação.

Em alguns casos, como em Bocaina e em Queiroz (SP), as prefeituras voltaram a adotar a sistemática de editar decretos determinando a proibição de algumas atividades e restrição de funcionamento de alguns setores.

Em Bocaina, a prefeitura determinou que fica proibido neste mês de janeiro a realização de quaisquer eventos musicais, tais como shows, música ao vivo, tanto no interior quanto no exterior de estabelecimentos comerciais, e festas com venda de convite.

A medida foi adotada por recomendação da Diretoria de Saúde e Vigilância Sanitária do município devido ao aumento de pessoas infectadas por Covid-19 e por um crescimento preocupante de casos de síndromes gripais.

Segundo a prefeitura, o período determinado destas restrições poderá ser prorrogado caso haja aumento significativo no índice de contaminados.

Bocaina ficou cerca de 50 dias sem casos positivos no fim de 2021. Agora, só nos primeiros dias deste ano, já foram registrados 25 casos de pessoas com a Covid-19.

Tupã (SP) foi uma das primeiras cidades da região a adotar medidas restritivas através de decreto, assinado na última terça-feira (4) pelo prefeito Caio Aoqui (PSD).

A decisão de apertar os controles sanitários surgiu logo após a confirmação do primeiro caso da variante ômicron do coronavírus no município.

Com o novo decreto, a equipe de Vigilância Sanitária volta a fiscalizar e exigir uso de máscara em eventos acima de 100 pessoas bem como nos espaços de acesso aberto ao público e no interior de estabelecimentos.

A Prefeitura de Lins publicou um novo decreto que prevê medidas para o enfrentamento da pandemia. De acordo com a publicação, aqueles que pretendem realizar eventos com mais de 100 pessoas devem comunicar a Vigilância Sanitária Municipal.

Nesses eventos, também será preciso que um funcionário fique na entrada do local aferindo temperatura e higienizando as mãos dos convidados com álcool em gel,

Nesta sexta-feira (8), Lins registrava 12.572 casos de Covid-19, 728 casos a mais que o total de uma semana atrás.

Restrições de horário e capacidade

Em Queiroz (SP), a prefeitura publicou na tarde desta sexta-feira (7) um decreto com medidas mais restritivas em virtude ao aumento de números de casos de Covid-19 no município.

Segundo a prefeitura, no último dia do ano passado havia na cidade um caso de infectado em fase de transmissão da doença; quase uma semana depois, o boletim desta quinta-feira (6) apontava 32 casos em fase de transmissão.

 Dentre as medidas adotadas, ficou definido que estabelecimentos comerciais e de serviços devem encerrar as atividades até as 23h. Após esse horário, os locais só poderão atuar com delivery.

Além disso, o decreto estabelece que os locais podem atender com um limite máximo de 50% da capacidade, sendo proibido o atendimento de pessoas que não estejam sentadas.

A distribuição de álcool em gel na entrada dos estabelecimentos e o uso de máscara continuam obrigatórios.

Também fica proibido o funcionamento de estabelecimentos dedicados à realização de festas, eventos ou recepções, bem como eventos em chácaras, áreas de lazer ou qualquer outro local de aglomeração.

Templos religiosos devem encerrar as atividades até às 22h, limitando a duração das reuniões em no máximo uma hora e meia. Serão permitidas somente duas celebrações por semana.

O decreto prevê que o descumprimento será punido com multas ou até mesmo a cassação dos alvarás de funcionamento.

Atendimento reforçado

Outras cidades preferiram adotar medidas visando melhorar o atendimento dos moradores com síndromes gripais ou até mesmo reforçar seus esquemas de vacinação.

Em Bauru, o atendimento nas unidades, que teve mudança nesta semana, vai ser reorganizado de novo a partir de segunda-feira (10).

Quatro unidades vão funcionar como referência para casos de síndrome gripal: a UBS do Centro e as Unidades de Saúde da Família (USF) do Santa Edwirges, Vila Dutra e Vila São Paulo.

Outra novidade em Bauru é que a partir da semana que vem o Samu vai fazer atendimento por telemedicina para casos leves. As pessoas vão poder ligar no 192 para conversar com os médicos e ter um diagnóstico.

A Prefeitura de Marília informa que as três unidades sintomáticas – as UBSs Nova Marília e Castelo Branco e a USF Jardim Liliana/Santa Antonieta – estarão funcionando neste sábado (8), das 7h às 17h, atendendo exclusivamente pacientes com quadro gripal.

Segundo a prefeitura, o objetivo da medida é evitar um grande número de pessoas na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da região norte e no Pronto Atendimento (PA) da região sul.

Já o paciente que apresentar febre alta, acima de 39 graus, desconforto respiratório, dor no peito ao respirar ou prostração (fraqueza, moleza, sem força), deve procurar por atendimento na UPA Norte ou PA Sul.

Já Macatuba (SP), que nesta semana registrou o primeiro caso de dupla infecção (Covid e Influenza) do centro-oeste paulista, reabriu a Unidade de Atendimento à Covid (UAC) que havia encerrado as suas atividades no último dia 17 de dezembro após queda acentuada nos casos ativos de Covid-19 no ano passado.

A prefeitura também determinou a contratação de profissionais da saúde e intensificou a fiscalização a fim de orientar a população a respeito dos protocolos de segurança.

Em Lençóis Paulista (SP), a prefeitura anunciou a abertura de uma central da vacinação na segunda-feira (10) para aplicação da primeira, segunda e terceira dose.

O atendimento será das 17h30 às 21h, de segunda a sexta-feira, no Espaço Cultural "Cidade do Livro". Não será preciso fazer agendamento, mas por questões de segurança técnica haverá distribuição de até 450 senhas por dia.

O morador deve levar documento com foto, cartão cidadão e a carteirinha de vacina (no caso da segunda e terceira dose).

TVTem

COMENTÁRIOS