Itápolis - Município está entre os 12 com maior risco de Epidemia de Dengue em São Paulo
26/02/2012 13:51 em Notícias Itápolis

Itápolis/Do Diário da Cidade de Itápolis (Jornalista Izilda Reis) - Itápolis tem alto risco de surto de dengue neste ano; quem diz é o Ministério da Saúde.

Foi-se o bom tempo em que o Município de Itápolis figurava como livre dos casos de Dengue e se via amplas campanhas de prevenção, conscientização, nebulizações e combate ao mosquito da Dengue pelo Município.

É fato que a participação efetiva da população no combate ao mosquito AEDES, que transmite a DENGUE é de suma importância no combate a doença, assim como é fato que a participação da população deve estar alinhada com ações amplas do Poder Público no combate ao mosquito transmissor da Dengue, o que parece não estar acontecendo adequadamente em Itápolis.

O resultado é que casos da doença voltaram a ser registrados nos últimos anos e agora, segundo o MINISTÉRIO DA SAÚDE, Itápolis está entre os Municípios brasileiros que correm risco de ter um surto da dengue neste ano de 2012. Segundo os dados divulgados pelo Ministério da Saúde, dos 91 municípios em 17 estados brasileiros analisados, Itápolis está entre os 12 dos 645 municípios do estado de São Paulo que corre o sério risco de enfrentar o surto da Dengue, sendo o ÚNICO em nossa região a estar nessa condição.

Vale lembrar, que a Dengue é uma doença seríssima e pode levar a óbito pessoas que já contraíram a doença, caso estas venham a ser novamente infectadas pelo aedes, que transmite a dengue, uma vez que quem já teve a doença, corre um risco grande de, caso venha a ser novamente contaminado, contrair a dengue hemorrágica, daí a importância de TODOS os esforços possíveis em sintonia entre a população e o poder público no combate ao mosquito transmissor da Dengue. De acordo com os dados do Ministério da Saúde, em todo o Estado de São paulo, além de Itápolis, os demais municípios que correm o sério risco de enfrentar um surto de Dengue este ano são: Registro, Tremembe, Presidente Prudente, Sandovalina, Descalvado, Águas de Santa Barbara, Castilho, Barueri, Pindamonhangaba, São Manuel e Bofete Dos estados em risco, segundo o Ministério da Saúde, em dois já se pode considerar situação de surto da doença: Tocantins e Pernambuco.

Dos demais municípios, 22 estão na Bahia, 12 no Maranhão, sete na Paraíba, sete em Goiás, seis em Pernambuco, seis no Amazonas, cinco no Pará, três no Ceará, dois em Alagoas e Sergipe e um em Roraima, Rondônia,Tocantins, Rio de Janeiro, Mato Grosso do Sul e Mato Grosso. Neste ano, cidades do Estado de São Paulo já somam 2.590 da doença.O Ministério da Saúde também informou que o número de casos de dengue registrados no país entre os dias 1º de janeiro e 11 de fevereiro de 2012 teve uma redução de 62% em relação a 2011. De acordo com o balanço divulgado pela pasta, no ano passa- MÍDIA NEGATIVA...DE NOVO!

Segundo dados do Ministério, dos 91 municípios brasileiros analisados em 17 estados, Itápolis está entre os que correm risco da epidemia este ano. Em nossa região, Itápolis é o único Município que corre o risco. Seria resultado de um possível descaso do Poder Público local na prevenção e combate a doença? do, no mesmo período, foram registrados 106.373 casos, contra 40.486 neste ano. Do total, 75% estão concentrados em 10 estados: Rio de Janeiro (4.275), Minas Gerais (3.531), Pernambuco (3.495), Tocantins ((3.450), Pará (3.304), Bahia (2.743), Goiás (2.690), São Paulo (2.590), Ceará (2.322) e Espírito Santo (1.982). Segundo o ministério, o número de casos de casos considerados graves da doença reduziram em 86% em relação ao mesmo período do ano passado.

 Entre primeiro de janeiro e 11 de fevereiro de 2011, foram registrados 1.345 casos graves, contra 183 neste ano. Os números de mortes causadas pela dengue também apresentaram redução nos primeiros dias de 2012. Foram 95 mortes em 2011 contra 32 em 2012. De acordo com o ministro da Saúde, Alexandre Padilha, a redução de casos neste ano é resultado de uma série de ações de combate. O Ministério fez repasse adicional de R$ 92, 8 milhões a 1.159 municípios para o controle da doença e também foram distribuídas 2,5 mil toneladas de larvicidas e 350 mil litros de inseticidas.

COMENTÁRIOS
Comentário enviado com sucesso!